quinta-feira, 20 de maio de 2010

música

linhares da beira - serra da estrela
.© raquel patriarca

há uma música bonita
que me inunda a
memória
de gestos serenos
e dias de sol

uma melopeia de coisas simples

o encanto de uma
história
contada de cor

‘era uma vez
há muitos muitos anos
numa terra distante...’

o murmúrio de uma oração
e o toque das contas
do terço
o abrir -
- vagaroso
de uma manga
à procura de um lenço

o som da água
a correr no ribeiro
empurrado pelo vento
e o bailar da roupa
que se mergulha e esfrega
ao ritmo
sincopado
de uma cantiga sem tempo

o burburinho
dos dias de feira
o tamborilar das compras
na cesta
o toque dos sinos tão perto
o encadeado dos cumprimentos
‘como está?
vamos indo obrigada
até amanhã
se deus quiser’

o flautear de uma
gargalhada
no fim da brincadeira

o compasso do
caminhar
em direcção a casa

o estalar do
pão de trigo
à hora da merenda

o suspiro cansado e
fundo
ao pousar
as mãos nodosas
no colo
alisando
resignadamente
as rugas da pele
as pontas do avental

o sussurro doce de uma
canção
de embalar
o soluço de
um afago e de um
beijo
antes de deitar



há um silêncio surdo
que me ensopa a
alma
de ecos vazios
e ausências doridas

‘era uma vez
há muitos muitos anos
numa terra distante...’

aos avós

raquel patriarca
dezanove.maio.doismiledez

2 comentários:

josé ferreira disse...

Raquel
"uma música.... que me inunda...o som da água a correr no ribeiro...o burburinho dos dias de feira...o sussurro doce de uma canção de embalar...um silêncio surdo que me ensopa a alma...era uma vez há muitos muitos anos numa terra distante"
gostei muito!

Anabela Brasinha disse...

Ó raquel,
raio de sol,
junto o teu,
era uma vez há muito muitos anos numa terra distante,
às saudades de ouvir as histórias que em pequena,
na aldeia me contavam.