sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Segredo

Não contes do meu
vestido
que tiro pela cabeça

nem que corro os
cortinados
para uma sombra mais espessa

Deixa que feche o
anel
em redor do teu pescoço
com as minhas longas
pernas
e a sombra do meu poço

Não contes do meu
novelo
nem da roca de fiar

nem o que faço
com eles
a fim de te ouvir gritar

Maria Teresa Horta (Lisboa, 1937-)

3 comentários:

Elza disse...

Aqui fica um "aperitivo" para saborear antes da sessão de Quarta-feira.

josé ferreira disse...

Elsa adivinhaste que eu ia publicar este poema.
Gostei de todos e foi notável como de pronto nos brindaste com todos os que a Ana Luisa referiu na última sessão.
Obrigado.

Marlene disse...

Obrigada Elza. Adoro este poema! Estou ansiosa pela próxima sessão