quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Cá estamos nós outra vez

Desculpem tomar conta do espaço para "postar" (não gosto nada desta palavra, mas não sei como substitui-la) alguma coisa que não é poesia.
Ou será? Para mim esta música é poesia, mas eu pouco sei (apeteciam-me mesmo, mesmo umas reticências por todo o lado - contenho-me).

Sei apenas que gosto muito de estar com vocês nas nossas fugas da 4a feira. Por isso, a música em dádiva, como uma magnólia arrancada pelo pé ao cocuruto de um poeta. Está fresca ainda, e pronta a devorar, juntamente com o resto do blog. O monstro precisa de alimento!

Beijinhos e obrigada



Olá (cá estamos nós outra vez) - Jorge Palma

5 comentários:

Elza disse...

Olá Marlene. Sim, é preciso alimentar o nosso blog e os compositores também são um pouco poetas, concordo. Ontem gostei muito de prolongar a sessão de poesia pela noite dentro ao sabor de "una copa de vino" cheia de antioxidantes. Obrigada pela companhia! Pi :)

josé ferreira disse...

Marlene gosto muito da poesia com música do Jorge Palma e gosto das mesas dos poetas nas tertúlias de quartas-feiras.

Confesso que fiquei com um pouco de inveja do vosso "copa de vino"
a prolongar o sentido das palavras.

Continuemos sempre atantos no blogue.
Até já!

A. Roma disse...

olá
sempre apanhaste o tal comboio
eu já perdi dois ou tres
entre o osseo e as esquinas
ganhei o vicio da estrada
neste outra encruzilhada
talvez agora a coisa dé
o passado foi á história
cá estamos nós outra vez

conheço a tua cara
mas não sei o teu nome
escrevo já aqui
nao sei o qué arroba ponto com
eu vou-te reencontrar
noutro bar de estação
ou talvez quando perder mais um avião
o barco vai de saida
tu estás tão bronzeada
é tão bom ver-te assim
ardendo tão queimada

eu quero reencontrar-te
noutra esquina qualquer
sem saber o teu nome
se ainda és mulher
quero reconhecer-te
e beber um café
dizer-te de onde venho
e perguntar-te porque
sorrir-te cá do fundo
e subir os degraus
eu quero dar-te um beijo
a cinquenta e tal graus (2x)

sempre apanhaste o tal comboio
eu já perdi dois ou tres
entre o osseo e as esquinas
ganhei o vicio da estrada
neste outra encruzilhada
talvez agora a coisa dé
o passado foi á história
cá estamos nós outra vez
cá estamos nós outra vez...

A. Roma disse...

Elza e Marlene,
Muito boa a tertûlia à volta do copo de vinho! A alheira, pela forma como foi devorada, tambem não estava nada má:) É curioso como de repente ficamos à vontade como se fossemos velhos conhecidos. É claro que antes a Ana Luísa já nos tinha dado uma "coça" de beleza à alma!
Para repetir, e claro era óptimo com mais colegas, por mim já na próxima quarta feira.
José, estamos combinados? E prepara-se; vamos confiar-lhe a tarefa de escolher o tinto.
Um abraço para todos.

Marlene disse...

Elza (Pi),

Repetimos la copa, vale?

E quem puder venha também

Beijinhos