quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Um outro olhar...(7)


“a praia do molhe…”

seria uma praia como outra qualquer
se não fosse a minha praia
aquele lugar especial
aquele lugar que não esquecemos nunca

seria uma praia como outra qualquer
se não tivesse sido aqui que cresci
e aprendi a gostar das pequeninas coisas da vida
olhar para o sol de inverno, molhar os pés na água fria

seria uma praia como outra qualquer
se não fosse aqui que eu volto sempre
para chorar ou para rir
para sonhar ou simplesmente para estar

seria uma praia como outra qualquer
se não fosse a minha praia
aquele lugar especial onde eu volto sempre
para recordar

seria uma praia como outra qualquer

5 comentários:

Nuno CA disse...

Como a "escultura" deste texto ainda não está terminada, coloquei uma fotografia, que não é da praia do molhe ("desculpa praia do molhe") e nem sei quem é o autor (fica o registo onde fui buscar... http://paisagensbonitas.blogspot.com/2008/03/paisagens-bonitas-praias.html).
Hoje, antes de regressar "ao asfalto", lembrei-me deste "lugar especial" onde tenho de ir mais vezes.
A propósito, este também é um tema interessante. Quais são os vossos "lugares especiais"? Que escreveram acerca deles? Fica o desafio...

Elza disse...

Gostei desta viagem às recordações. E do desafio, também um lugar especial para mim é uma praia. Não é a praia do molhe, é outra, mais distante, mais selvagem. Digo até, "seria uma praia como outra qualquer/ se não fosse a minha praia"... Fiquei com vontade de vasculhar os meus cadernos antigos à procura de pedaços desse lugar! Obrigada.

imensa disse...

desafio aceite!!!!


"aquele lugar que não esquecemos nunca"

beijo imensa, l o l

josé ferreira disse...

Também molhei os pés nas praias
Também sujei os pés nas areias
e algumas vezes nas manhãs de Domingo, percorri as velas, afastei-me com as nuvens das esplanadas de cafés ardentes, e tentei ser gaivota de voos planos.
Creio que muitas tardes evaporei, a seguir condensei, querendo ser do rio a pequena partícula que desagua no mar. Encontrar a Foz.
Não sei se é esta a praia. Temos que ter a alma elevada e procurar sempre a próxima, a que está para vir, mas não tenho a mais pequena que é uma das que está, das que tem lugar.
As imagens do crepúsculo são sempre
belas, anunciam a noite e preparam o nascer de um novo dia.
Viva a Poesia!

blankbluebooker disse...

Nuno, magnífica ideia de começares esta brincadeira dos poemas temáticos ao desafio... vou por o meu, chama-se "eu estive lá".
R