quinta-feira, 9 de outubro de 2008

O mar no seu lugar por um relâmpago

Quem pôs o mar no seu lugar?
Gostava de ter sido eu por instantes.
Brincar a Deus.
Pôr cada coisa em seu lugar.
Num relâmpago criar vida, luz, mar, terra e estrelas.
O mar.
O mar é tudo.
O princípio.
Essa casa abrigo que nos abraça e empurra em cada onda
num ir e vir de força
O relâmpago.
Luz que rasga o céu em energia de cor.
A vida em gotas de água.
A vida em ondas de sal.
Luz. Luz. Luz.
O lugar certo das coisas.
O lugar incerto das coisas.
O meu lugar é aqui.
Junto ao mar.
Contigo.

3 comentários:

josé ferreira disse...

Liliana como um relâmpago.
Solta-se a luz e o mar como um imanso espelho de um Oceano infinito.
Não sei se foi a música... a poesia...mas algo te tocou de forma permanente... uma tempstade de sentidos.
Fantástico!

josé ferreira disse...

Leia-se "imenso" e não "imanso" (que embora sendo uma palavra interessante não existe) e já agora "tempestade" em vez de "tempstade".
Ao resto não retiro nem sequer as reticências!

blankbluebooker disse...

Liliana, não sei o que andas a fazer (deve ser a musse de chocolate do piolho) mas seja o que for, continua... Queremos mais!