terça-feira, 21 de maio de 2013




click to enlarge
Paul Klee: Rose Garden, 1920

Como podem as andorinhas, não eu
quebrar-me nunca mais

se fossem flores mas não
de egoísmo a volta, e

dá-me o descanso cansado!