quarta-feira, 27 de março de 2013

sem acordar a cidade




 The girl by the window  Edward Munch 1893


entrou dentro do quarto.
conduzido em sussurros descobriu espaços.
as peças de vestuário tornaram-se inexistentes
perderam o peso dos significados -

adormeceram como um rio fluido num correr suave
sem margens -

acordaram  na presença de todos os momentos.
asas moravam dentro e fora do corpo;
podiam voar de qualquer jeito pelo ar e pela relva
pelo mar e pela areia -

abriu a janela de pés descalços na primeira claridade.
ele saltou sem medo e deixou-se aconchegar 
pelas cores macias do jardim
junto de flores de jasmim e braços de glicínia -

não se abriram mais cortinas, ninguém deu por nada.
saiu sem ruído, incógnito e completo sem acordar a cidade -

josé ferreira 27 março 2013