sábado, 4 de junho de 2011

into the (Moody)blues

video
vídeo de josé ferreira



as heras já não crescem mais
o muro está triste
a chuva cinzenta das cidades
aperta as raízes
- disse-lhe no dia 3 de junho

a névoa dos dias passados
será sempre um passo no presente
uma culpa no futuro
- disse-lhe faz hoje oito dias

soou tão estranha a resposta
depois clara como a água dos rios:
não digas nunca nunca nem sempre sempre
são palavras feitas de nuvens
perdem-se no tempo -

3 comentários:

Phi Zeste disse...

Apesar de tudo, quando ainda há palavras que nos despertam sentimentos e pensamentos, sabemos que estamos vivos, mesmo que por instantes.

raquel patriarca disse...

que lindo José!
ainda me faltas mais do que o costume. vou arranjar maneira de lermos o teu poema e ouvirmos a música e vermos o vídeo.
obrigada. muito. mesmo.

Elza disse...

Lindo!
'não digas nunca nunca nem sempre sempre
são palavras feitas de nuvens
perdem-se no tempo -'
Sem palavras.