sexta-feira, 29 de abril de 2011

nunca se apaga a inscrição na alma


fotografia retirada da internet


passou a páscoa e recordo as amêndoas,
de licor,
aquelas francesas com imagens de açúcar,
delicadas, doces, de sentimentos -
as amêndoas de licor,
de cores: rosa, azul, algumas simulando o branco de uma espuma,
a espuma breve
mas espessa, como o azul do céu;
porque permanece;
qual fotografia solene de um fragmento,
fragmento belo de um tempo; tempo de palavras,
de poemas -

nunca se apaga a inscrição na alma -
esse sinal intenso que transporta a lua,
e as estrelas cintilantes de um relâmpago;
o momento -

guardo-te sempre -

José Ferreira 29 Abril 2011

1 comentário:

CAROLINA CAETANO disse...

"a espuma breve
mas espessa, como o azul do céu;
porque permanece;"

"nunca se apaga a inscrição na alma -
esse sinal intenso que transporta a lua,"

Isso instala-se em mim num já gigantesco tempo nenhum.