terça-feira, 15 de março de 2011

a preto no preto ou de branco no vazio




realmente não me sinto. é um daqueles dias
a preto no preto ou de branco no vazio.
não me sinto. a realidade um quadro de giz
uma bata atomizante de uma classe sem rosto
o difuso de uma imagem indefinida, um fumo
uma nuvem sem chuva
como rama suspensa nos ramos do tempo.
o contemporâneo.
o momento.
não me sinto. pronto.

não há olhos redondos - o pulsar dos dedos
os tremidos lábios - a sensualidade dos seios
o contar minucioso dos cabelos.
não existe a poesia dos sentidos.
é um daqueles dias e pronto
não me sinto -

sabes aquela música dos Beatles all you need?
não. não consigo.
sabes a teimosia das palavras
o não desistir nunca?
mas hoje é um daqueles dias -
não. não consigo -
não fales comigo.
não me sinto -

ou sinto em demasia -

José Ferreira 15 de Março 20011

2 comentários:

CAROLINA CAETANO disse...

"não me sinto -

ou sinto em demasia -"

É desses dias. Hoje, precisamente, é desses dias.

José Almeida da Silva disse...

As lágrimas estão sempre em lugar de, a ausência é sempre alguém de que se tem urgência...
Esta representação da solidão traz a inexistência da «poesia dos sentidos». Não há mais palavras.
Gostei muito. Parabéns.