sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

escrevo o teu lugar na palma das mãos


Guy Bourdin


escrevo o teu lugar na palma das mãos
ao longo de muros projecto sombras gestos
o voo de pássaros e corro
pertenço às noites de rios que amam e cantam
que se escondem em poços mais profundos
precipitando-se em direcção ao inverno

sem regresso toco a música que fica
mais perto da distância
a minha partida estava já nos nós dos teus dedos
nos anéis dos teus cabelos

no teu sorrir que fios de música
teceram para que se desperdiçasse


Tatiana Faia Revista Ítaca nº 1

1 comentário:

Leonardo B. disse...

[em tantas direcções que se move a palavra, em tantos silêncios onde se pode tatuar um verso, como uma carta marítima para o tanto navegar]

um imenso abraço,

Leonardo B.