terça-feira, 18 de maio de 2010

Música arrepia ossos

Cuidado!

Se me tocas o esqueleto
a perônio
não quero ais

Estalo-te o osso
se te bato com os metatarsais

Cuidadinho com os meus ossículos!
Vai o martelo à bigorna
salta-me o estribo
parto-te os óculos
esborro-te partitura

Vai Lá tocar para o teu corpo e tem Dó de Mi, Si?

Ana Janeiro

3 comentários:

josé ferreira disse...

Olá Ana
o poema lê-se com um sorriso. não tem dó de ossos e ossículos e há um esqueleto de palavras a estalar!

raquel patriarca disse...

o José tem razão, Ana, o teu poema é muito divertido. dobro o esqueleto para te tirar o chapéu!
r.

Anabela Brasinha disse...

olá ana,
subscrevo o que antes se disse,
Vai o martelo à bigorna
pois vai!
Fica bem