sábado, 3 de outubro de 2009

Sem senso


fotografia retirada da internet


Sem senso o fio da palavra
sem poema
sem ser a água de lago
transparente e acetinada
nesse jardim onde crescem e caem
as camélias.
Sem a luz das frases, preso na voz ausente
transforma-se o pêlo claro de um gato
na côr malhada: o leopardo
manchas insanas, rugido agreste.

Nas árvores felinas de silêncio
descansam as feras -

4 comentários:

Anabela disse...

Achei interessante e curioso, gostei. Falaram de oficina de escrita, fiquei curiosa.

Anabela disse...

Achei interessante e curioso, gostei. Falaram de oficina de escrita, fiquei curiosa.

Anabela disse...

Achei interessante e curioso, gostei. Falaram de oficina de escrita, fiquei curiosa.

josé ferreira disse...

Anabela o curso de escrita criativa que a Auxília falou realiza-se a partir de 5 de Novembro e está anunciado no site da Universidade do Porto.
Saudações poéticas