quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Anjo


Chagall "Adão e Eva" 1912


Mais calmo que um urso panda numa alcofa lisa de bambu.
A brisa morna traz o vento leve
o embalo de um ramo de planície.

Uma pequena lágrima nos teus olhos claros?
Não chores!Vá!Não chores! Dorme meu anjo
dorme o sono, o sonho azul de Oceano
e rema o mundo, vence a água das medusas
ao som de uma canção de Brahms.
Sabes meu anjo os lavagantes têm carapaças duras
e quando dançam selam o medo, a dúvida, a ausência
no labirinto dos corais de forma simples. Sossega.
Adormece. Dorme. Não te prendas nos meus olhos
neles caminham as chamas morenas, os focos da alma
na fogueira dos poemas. Por isso adormece. Dorme.
Canto aquela canção de cordas tão calma.
Canto sim. Mais calmo que um urso panda
meu anjo meu anjo meu anjo

1 comentário:

Tiago Carneiro disse...

Excelente blog. Parabéns.

Coloquei um artigo a falar sobre este blog no meu.

Abraço
TC
http://democraciaemportugal.blogspot.com