quinta-feira, 5 de março de 2009

Vicky Barcelona-recuerdos de alhambra

Recuerdos de Alhambra
na guitarra bronzeada de Oviedo.

Cristina submissa
ferida na úlcera de um tanino
-tinto mal digerido-
escapou fugaz em halo de seara
seduziu no abandono louro
a almofada
no terapêutico repouso.

Inebriou Vicky a noite intensa
(húmidos vapores na relva Shakespeare)
e o ponteado crescido de barba rude
face visível de Juan
na oculta raíz de poeta
melodias de Tarrega
a corda sensível.

Vicky Juan o ecrã de lua.

Supomos o chão envolto
na queda unida
romântica sina;
amarelos de Miró
pastilhas de azulejo
fantasias de Gaudi.

Vicky de alça descaída
pés descalços indiferentes
no caminho das formigas
vibra
nas cordas da melodia.


Escrevi este poema no tal desafio de poema sobre o filme de Woody Allen.
Também publiquei a música de que gosto muito.

1 comentário:

Marlene disse...

José

Soube do desafio que aliás achei muito engraçado.
E gostei muito da sua resposta. Realço a Vicky de alça descaída que vibra nas cordas da melodia (foi formosa e não segura).

Um beijinho e parabéns