domingo, 7 de dezembro de 2008

Ninguém me dissera

Deixo-vos um poema de José Rui Teixeira, poeta e sobretudo amigo (um amigo que eu gostava de ter partilhado convosco na primeira sessão de Escrita Criativa). Um poema de memórias, afectos, perdas.


Só depois desci as escadas, já o verão escorria

pelas paredes e os dias cabiam debaixo do alpendre.


Ninguém me dissera que os incêndios são homens

a arder no interior das suas memórias com as mãos

nas têmporas e demónios à volta da mesa. Ninguém

me falara da roseira que houve no jardim, já a morte

induzia a intempérie contra o meu corpo parado.

Ninguém me explicara que se sobrevive sem útero

na margem dos dias.


José Rui Teixeira

2 comentários:

josé ferreira disse...

Ainda bem que voltou para partilhar algo de novo. não conhecia o poema e gostei particularmente de "os incêndios são homens a arder no interior das suas memórias com as mãos nas têmporas e demónios à volta da mesa".
Obrigado.

Marlene disse...

Auxilia obrigada, é tão belo e tão triste. Pungente. Às vezes fico fascinada como com as palavras que estão à disposição de todos, alguns as dispõem como ninguém!