domingo, 6 de março de 2016

Foi assim.



Foi assim.  
No silêncio da história. Não poderia ser de outro modo.
Guardámos a lua.
Em caixa de papel mistério. E laço de coração.
Ficou-nos a memória.
Foi assim 

Teresa Freitas


Sem comentários: