segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

AS CASAS

Dentro de nós as casas habitam-nos
Casas de nós mesmos somos deuses
Os lugares dos outros em nós
Repousam nos quartos íntimos da dor

Dentro de nós os outros habitam-nos
Casas de nós mesmos entranham-se na pele
Pertencem ao mesmo respirar do nosso nome
Repousam-nos no ventre e dançam

Dentro de nós as horas habitam-nos
Casas de nós mesmos gravam-se em rugas
Repousam no tempo vivido da memória
No vai e vem do coração apressado

Dentro de nós só o amor conta histórias
Casas de um poema e de poetas que se juntam
Pertencem ao mesmo respirar do nosso nome
Embalados nas artérias do sentir
A sorrir pensamos: como é bom chegar a casa!
Liliana de Castro

Sem comentários: