sábado, 8 de março de 2014

magnolia - um poema para o dia da mulher



aquela imagem improvável só de flores e braços
fez descer o silêncio no meio da luz.
um momento de sossego na tarde pesada
com meias luas aos pés
pétalas e pétalas numa seda branca.
é estranho alguém sentar-se na relva com carros de ambos lados
 não escutar buzinas nem seguir os passos das gentes da cidade.
é estranho tentar compreender as magnólias
a sua quietude singular
o equilíbrio frágil das muitas flores pousadas
o seu ar de mistério
o seu ar de mulher –

josé ferreira 8 de março 2014

imagem daqui

1 comentário:

Anabela Couto Brasinha disse...

Bela homenagem! Continuação de bons escritos José.