domingo, 16 de fevereiro de 2014

jardins adormecidos

Boticelli " Alegoria da Primavera"

as árvores são singulares sem exclusão alguma
folhas, flores e frutos
como as últimas tangerinas num jardim adormecido
como as camélias rubras resistindo à chuva
como as primeiras folhas da glícínia 
anunciando aromas, subindo das raízes e atingindo a luz
na primavera por chegar –


os silêncios do Inverno falam dentro de nós
propagam o som de muitas palavras nas abóbadas da catedral
nas múltiplas cores dos vitrais, no imaginário das imagens
que crescem, crescem, crescem
para se transformarem em pó 
e nascerem de novo 
como atitude natural  –

os jardins adormecidos podem acordar –

josé ferreira 15 fevereiro 2014


Sem comentários: