sábado, 18 de janeiro de 2014

a teia imperceptível

a teia imperceptível

 
Annie Leibovitz


tecida teia de linhas
dando voltas na espiral tão leve
fica tão fina que  mal se percebe
quando barra o caminho –

como saber se existe se não é perceptível?
atenção para que não te prenda
para que não te ligue os braços à barriga
a tecida teia quando surge no caminho
 dá voltas e voltas, entontece, rodeia e esfria
atrasa o batimento cardíaco –

a tecida teia atrai na ilusão límpida
na transparência do vidro e envolve os sentidos.
a tecida teia atrasa o pêndulo, a dança das horas e dos minutos
o bater da meia-noite, o bater do meio-da
no novo  novelo que cria – 

a tecida teia é uma hipnose malévola
atrasa os cânticos e a música dos violinos
atrasa o mar nos dias felizes
atrasa a cor dos olhos e o vermelho da face
atrasa o sopro azul das brisas e o sorriso 
 dá voltas e voltas, entontece, rodeia e esfria – 

respira –


josé ferreira 18 Janeiro 2014

Sem comentários: